Sobre o fundador da escola

Bhavaraja Dharmananda, professor formado em Filosofia - licenciatura, Coach, empresário, escritor e fundador do Ashram Dharmananda Mahavidya Tantra Yoga, encerrou a carreira acadêmica para seguir a vida espiritual ministrando cursos de meditação e yoga para muitas pessoas na Bahia e no Brasil. ​ Conhecido por sua mediunidade ostensiva desde criança, a partir dos 6 anos de idade a clarividência e a vidência fez parte da minha vida de maneira bem intensa, com visões de entidades espirituais de todas as esferas. Nascido em uma família católica/espirita, não entendia o motivo dessas visões. ​ Aos 14 anos seus mentores lhe pediram para ele se dedicar ao caminho espiritual, porque já era hora de começar minha jornada, mas ele pediu um prazo maior até aos 18 anos para depois se dedicar de maneira integral. Então, ele foi procurar conhecer a vida mundana de forma cautelosa, levando quase uma vida de pessoa comum, comparando com a vida de seus amigos da mesma idade. Aos 18 anos percebeu que não tinha nenhuma novidade neste mundo, nem nada interessante na vida comum, e renunciou a tudo que conheceu da vida mundana para se dedicar a vida espiritual.

A sua mediunidade aflorou de tal maneira que eu não teve escolha, era a hora de buscar o caminho espiritual. Foi neste período que conheceu a escola de haja yoga em Salvador-Ba, A Brahma Kumaris e iniciou sua jornada na meditação e conheceu depois o yoga e a filosofia védica. Se encontrou finalmente passou a se dedicar a meditação de maneira bastante intensa, criou aos 19 anos um grupo de estudos com base na meditação e autoconhecimento, dirigiu este grupo até aos 23 anos.

A mediunidade nele mudou de objetivo, depois de 7 anos de resgate kármico fazendo socorro espiritual, recebeu a liberação do karma pela espiritualidade, pois não tinha mais a necessidade de incorporar entidades, sejam seus guias ou de outras consciências, para desta forma poder se dedicar ao meu autoconhecimento e ao autoaprimoramento espiritual. Foi desta forma que descobriu que sem se libertar do karma, ficaria difícil evoluir espiritualmente, porque somente no dharma o individuo pode alcançar a sua auto-realização espiritual. Infelizmente, muitas pessoas não sabem disso e vivem presas a esta ideia de que se ficar somente incorporando estarão evoluindo espiritualmente e não é verdade. A pessoa pode desenvolver um ciclo vicioso e desnecessário, que ao invés de ajudar pode prejudicar sua vida pessoal e espiritual. A incorporação de espiritos é uma etapa da vida espiritual necessário para alguns indivíduos resgatarem dividas do seu passado (Karma), mas após pagar este deve prosseguir seu caminho em busca da sua evolução espiritual (dharma).

Após anos de práticas, e mais de 7 anos dando aulas de meditação, resolveu explorar a natureza como um chamado foi levado pela primeira vez a meditar numa praia do litoral norte na Bahia. Depois se tornou prática comum sair nos finais de semana para meditar na praia dois dias ou mais sozinho. Então, passou a conhecer mais coisas sobre Deus e a espiritualidade, até que sentiu um chamado mais forte ainda que o levou a lugares mais longe, passando a meditar no topo de montanhas na região da chapada diamantina sozinho, onde teve sua experiencia divina relatada em seu livro com o titulo: Quando Deus falou comigo.

Durante 26 anos de vivência espiritual já tinha conhecido muitas filosofias e religiões diferentes, procurando respostas para vários questionamentos que só obteve com seus mentores e guias espirituais hindus, estes que foram de fato seus verdadeiros mestres espirituais, que lhe explicavam tudo e auxiliaram na escrita de alguns livros por canalização e escrita intuitiva e mediúnica, ou me explicando outras coisas através de experiências de consciência projetivas durante muitos anos. ​ Aos 27 anos de idade teve uma experiência com os siddhis, através do despertamento da kundalinii da energia Idala, que despertou após as práticas ensinadas pelos mentores hindus que lhe auxiliaram no despertamento da energia da kundalinii, ampliando sua percepção e concepção sobre espiritualidade e sobre Deus, o qual teve uma experiência direta que marcou toda sua jornada espiritual, revelando seu dharma. Sobre a mediunidade passou a ter outra visão com maior clareza sobre sua função e objetivo. Passou por algumas experiências fortes com os siddhis despertados, que vão além da nossa imaginação e da materialidade conhecida por nós, como: a desmaterialização física, miniaturização, controle da pineal projeção astral e mental consciente, telepatia multipla (podia se comunicar com varias pessoas ao mesmo tempo mentalmente e enxergar elas também), dentre outras coisas como o domínio sobre os karmas das pessoas, etc.. Nunca revelou ou se quer conversou com alguém sobre tais manifestações, mas apenas algumas viram, e quem esteve presente pôde testemunhar algumas coisas. Algo comum e descritos nos livros sagrados da Índia, recebeu a orientação de não revelar para as pessoas para evitar fanatismo ou adoração, mas algumas puderam presenciar. O objetivo maior de Bhavaraja é poder compartilhar e ensinar o conhecimento que recebeu nos planos espirituais para as pessoas, que se prepararem receber tais ensinamentos e poder assim ajudar as outras pessoas em busca do seu dharma e da auto-realização espiritual. ​

O homem uma obra divina de Deus, e deve agir como tal.

Bhavaraja

© 2023 por Igreja Unitarista do Pará. Orgulhosamente criado por Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now