PROJETO PAPO CABEÇA

Prevenção ao uso de drogas nas Escolas

A droga é algo que está chamando muito a atenção de um grande número de adolescentes, seja por diversos motivos que podem ser enumerados, como a curiosidade própria da idade, frustrações, o tédio que caracteriza a mudança de deixar de ser adolescente para ser adulto, vencer a timidez, sentir prazer e principalmente por acreditar, muitas vezes que as drogas aumentam a criatividade. Enfim, fatores externos (socioculturais) e internos (subjetivos) concorrem para práticas autodestrutivas, levando os jovens e adolescentes a escolher cada vez mais uma solução química para aquilo que acham não serem capazes de resolver.

 

Ao levar em conta não só os fatores socioculturais como aspectos da subjetividade do jovem, esse de tipo trabalho preventivo envolve não só uma ação educativa, mas implica também uma psicoprofilaxia, uma atitude clinica, no sentido mais amplo do termo para que seja efetiva a promoção de saúde através da conscientização.

 

Objetivo geral:

Formar multiplicadores através da orientação sobre a prevenção e as consequências do uso das drogas, através de técnicas de coaching educacional.

Objetivos específicos:

  • capacitar e sensibilizar a comunidade escolar (professores, pais e alunos), orientando na elaboração de projetos de intervenção acerca das drogas;

  • identificar na escola jovem que estejam inseridos em outros grupos comunitários;

  • estimular a motivação em ser um multiplicador da temática a ser trabalhada;

  • desenvolver um programa de orientação e prevenção nas escolas.

 

Justificativa

INFORMAR NÃO É EDUCAR

Lamentavelmente, as campanhas costumam ser ações isoladas e fora do contexto, dirigidas a uma população heterogênea e realizadas à margem dos grupos organizados da comunidade, com um planejamento e direção centralizada, com uma grande mobilização de meios publicitários, propagandisticos e orçamentários.

Este tipo de ações costuma ter uma eficácia limitada já que seu impacto é de escassa duração. Os cidadãos não estabelecem relações causa-efeito e as mensagens correm o risco – por estar fora do contexto – de não ser efetivas. Se, além disso, as campanhas se limitam a dar informação simplistas do tipo negativo como: "Não à droga " ou " A droga mata ", fica uma lacuna entre o informado e o que o público necessita saber sobre o tema.

 

A EDUCAÇÃO NO COMBATE AS DROGAS

Os programas tradicionais de prevenção estavam centralizados, exclusivamente, na Educação.Sanitária, cujo objetivo era e é transmitir informação a fim de produzir mudanças nas atitudes e comportamentos das pessoas. Nestes programas a educação se centralizou na informação sobre os riscos que as drogas apresentam, com o qual não cumpriam adequadamente sua função preventiva.

Atualmente, nossa maior preocupação é de como conseguir que as pessoas – os grupos e as comunidades – adotem comportamentos saudáveis, principalmente no que se refere ao hábito de consumir drogas, em virtude dos problemas sociais que está causando. A tarefa não é fácil, já que implica na coordenação dos recursos teóricos e empíricos de diferentes disciplinas e profissionais e, sobre tudo, a adoção de mudanças políticas e sociais.

Se aceitarmos que a opção de consumir drogas não é uma opção exclusivamente individual, mas que o ambiente onde vivemos fomenta tais opções, a Educação para a Saúde não deveria ser apenas a de "fazer palestras", como geralmente vem sendo feito em nosso país. Estas são importantes e servirão como antecedentes a fim de sensibilizá-los para uma mudança de atitude.

Também deveria aplicar-se determinadas técnicas pedagógicas ou psicológicas orientadas ao individuo ou ao grupo. A Educação para a Saúde teria que ser uma tarefa de reestruturação ambiental e pessoal, o que permitiria que fosse mais fácil fazer opções saudáveis.

A chave para controlar o tráfico e o abuso de drogas, é reduzir a demanda, portanto a prevenção e a educação devem ser os pilares principais neste trabalho.

 

Metodologia

Desenvolver várias atividades educativas e de cunho prioritariamente de conscientização, através de palestras, dinâmicas, oficinas, discussões, peças teatrais e atividades recreativas, onde o corpo escolar, (professores e alunos) terão a oportunidade de expressar seus conhecimentos acerca das drogas para que assim possa ser esclarecido suas dúvidas.

Promover mudanças necessárias no projeto político pedagógico para que se leve adiante o referido projeto, visto que a proposta é de viabilizar um projeto através da construção mútua de todo o corpo escolar, além dos pais ou responsáveis.

© 2023 por Igreja Unitarista do Pará. Orgulhosamente criado por Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now